Conversando com o Bebê na Barriga: fortalecendo o vínculo e estimulando o desenvolvimento

Oie Gente!

Como toda mãe de primeira viagem, quando descobri que estava grávida comecei a buscar sites e aplicativos que me falassem um pouco mais da minha filha. Um dos sites que encontrei me mandava e-mails todas as semanas me contando novidades sobre o desenvolvimento da minha filha na barriga. Enviava informações sobre que tamanho ela estava, quais órgãos estavam se formando e muito mais.

Logo no começo recebi um e-mail dizendo que ela já podia me ouvir! E que eu já deveria começar a falar com ela. Para ser sincera no começo tive as minhas dúvidas de que era verdade, mas comecei a conversar com ela mesmo assim. O que foi mais surpreendente do que entender que ela realmente podia me ouvir foi perceber como me fazia sentir bem conversar com ela.

Lendo um pouco mais sobre o assunto na internet entendi que as conversas que tinha todos os dias com a Bia eram o nosso primeiro contato. Essa era a primeira forma de mostrar pra ela quanto eu a amo e explicar como é esse estranho mundo novo. Ouvir a minha voz faria ela se sentir mais segura e confiante. Além disso, descobri que a Bia já podia reconhecer a minha voz mesmo na barriga e que conversar com ela reforçava esse vínculo entre nós.

Comecei a conversar com ela sobre tudo! Contava sobre a nossa família. Explicava que a noite foi feita para dormir e quando ela nascesse deveria dormir de noite e ficar acordada de dia. Falava sobre os nossos planos, tudo que queria mostrar pra ela. Dizia que ela era muito amada e que todo mundo estava muito feliz esperando a chegada dela.

Também fiquei sabendo que o bebê já começa a desenvolver a linguagem e o aprendizado antes de nascer. Descobri que conversando com ela, já estava estimulando a aprendizagem. A minha irmã, a Bru, também ficou insistindo pra eu falar em inglês com a Bia – já que a única língua estrangeira que sei. Ela me disse que desenvolve outras partes do cérebro e ajuda na sucção do bebê, mas isso já é assunto para outro dia.

Pouco depois que comecei a conversar com a Bia, o meu marido, o Flávio, também começou a conversar com ela. O hábito dele de falar com ela também ajudou a criar um vínculo entre eles antes mesmo do nascimento. O resultado foi incrível! Ela também começou a reconhecer a voz dele. No terceiro trimestre, quando ele conversava com ela de noite ele fazia “high five” com ela. E acredite se puder, ela se mexia cada vez que ele fazia “high five” na barriga.

Agora consigo ver perfeitamente como foi importante conversar com ela. A Bia é muito calma e o nosso vínculo com ela é muito forte. Desde o dia que nasceu ela parece reconhecer a nossa voz. Além disso ela é super esperta, sempre está ligada em tudo. Acredito que falar com ela na barriga realmente fez muita diferença pra nossa relação e para o desenvolvimento dela.

Beijão!

Carol

Você também pode gostar de

Deixe uma resposta

O seu e-mail não será exibido. Campos obrigatórios estão marcados *